Da sala de aula para os palcos

1
741
Foto: Luciano Klaus

Composições eruditas e populares de vários períodos e estilos: de Stravinsky a Baden Powell, de Bach a Tom Jobim. Este é o repertório, tocado com arranjos próprios e adaptações, da Orquestra de Violões de Teresina (OVT).

O músico Erisvaldo Borges, violonista e professor, foi um dos pioneiros no cenário da música instrumental no Piauí. Foi ele quem, inicialmente, idealizou o Projeto Violão na Escola, ainda em 2007.

Como vários frutos foram sendo colhidos do Projeto, nasceu então a Orquestra de Violões de Teresina, atualmente coordenada pelo violonista e professor Ravi Annael. A regência da Orquestra está sob a responsabilidade do violonista e professor Felipe Vilarinho.

O Projeto Violão na Escola tem o apoio da Prefeitura de Teresina e realização da Fundação Municipal de Cultura Monsenhor Chaves. Ele atende cerca de 400 alunos em pontos espalhados pela cidade (escolas municipais e centros culturais).

O time de professores é composto por um grupo de amigos, músicos violonistas, que já tinham certa experiência na docência do instrumento e que se uniram com o objetivo de ajudar na melhoria da formação cultural de crianças que, muitas vezes, não têm a oportunidade de acesso ao instrumento e à música.

Foto: Luciano Klaus
Foto: Luciano Klaus

A Orquestra de Violões de Teresina é, na realidade, uma orquestra escola formada pelos alunos que se destacam no Projeto Violão na Escola e também pelos seus professores. “Os alunos do Projeto são selecionados para integrar a OVT a partir do melhor desempenho mostrado em sala nas aulas de violão. Ela proporciona a esses alunos a oportunidade de se apresentar em público”, explica o violonista Ravi Annael .

A OVT é formada por dez professores e quinze alunos. Eles tocam um repertório com adaptações de peças tradicionais para violão e orquestra de violões, e de compositores renomados do meio violonístico. Para fazer bonito eles ensaiam toda quinta-feira, no Palácio da Música, às 18h.

Os integrantes realizam cerca de seis apresentações por semestre. Dentre as principais, estão as apresentações no Projeto Concertos Matinais, no Palácio da Música, a cada dois meses, e apresentações de final de ano nas atividades culturais realizadas pela prefeitura de Teresina e pelo Governo do Estado.

Visibilidade ainda é uma busca

O músico Ravi Annael destaca que, de modo geral, a população pouco acesso tem à música instrumental de qualidade, chegando mesmo a desconhecer sua existência. Neste cenário, o projeto contribui para diminuir essa lacuna cultural existente e ainda proporciona a profissionalização para aqueles alunos que decidem trilhar por esse caminho.

“Temos um exemplo prático atual, que é o Professor Paulo Henrique. Ele é ex-aluno e iniciou sua vida musical por meio das aulas de violão ministradas no projeto”, lembra.

Foto: Luciano Klaus
Foto: Luciano Klaus

O principal desafio da OVT é aumentar sua visibilidade nas apresentações realizadas, tanto a nível de Teresina quanto a nível de Piauí, e no cenário violonístico nacional, que não tem tanta tradição nesse tipo de formação. Para isso, se faz necessário que eles tenham uma estrutura logística que dê condições de prosseguir com esse objetivo.

“Estamos buscando parcerias, tanto com o setor público como o de empresas privadas. Queremos que eles se disponham a nos ajudar, tendo assim sua divulgação em nossas apresentações como mantenedores e fomentadores da iniciativas que contribuem para o engradecimento da cultura”, conclui o coordenador do Projeto e da OVT.

Saiba como participar!

Qualquer pessoa interessada em tocar e/ou aprender a tocar violão será super bem-vinda no projeto. O projeto é feito com amor e dedicação e isso reflete nas atividades tanto no palco como em sala de aula. De modo geral, os professores fazem um teste para saber em qual nível o aluno interessado se encontra para, a partir disso, direcionar seu aprendizado da melhor maneira.

1 COMENTÁRIO

LEAVE A REPLY