Família não é modelo de perfeição, mas é onde mora o amor!

0
468

A gente escuta muito que toda família é igual. Eu acho que isso tem muito de verdade mesmo. Toda família tem o dramático, o dengoso, o danado, o comilão, o carinhoso, o zangado, o extrovertido, o chato e assim vai.

Mas o que rege todas as famílias mesmo é o amor! Sem dúvida existe várias formas de expressar esse sentimento, mas nossas famílias seguem a risca que quanto mais há implicância, mais há amor. Eu acredito mais ou menos nisso kkkkkkk.

Aqui em casa não é muito diferente da sua família. Somos ao todo em 5, uma mãe apenas, (hahaha ainda bem), um pai (ainda bem tbm), uma irmã (a ruiva natural) e um irmão (o Thor nordestino). Cresci num lar cercado de muita gente. Por isso, acho eu, gosto tanto de gente! Amo gente! Olhe, se tem uma coisa que gosto é de gente!!!

Hoje eu vim aqui falar sobre família, especificamente, sobre a minha família. Comecemos por minha mãe, ela faz o papel da novela mexicana de duas pernas. Ela é o drama em vida, minha gente. Não existe um só dia que a gente não escute dela a célebre frase: Vocês só vão dar valor para mim quando me perderem! É todo dia o mesmo drama de sempre. Ela é a rainha das dores, todo dia nasce uma nova, é também a rainha da reclamação. Mas do que ela domina mesmo é de amar. Ela ama a gente demais, eu sei disso pelo nível de implicância, como expliquei lá em cima hahahaha.

Apesar de todo drama, ela é o braço que sempre corremos na hora dos aperreios. Ela para tudo para nos acalentar, abraçar, acarinhar. Ela é a melhor nisso que já vi. Cuidado, para mim, é a palavra que a define.

Aí tem o véi, meu véi bombado. Meu pai é o rei da impaciência. Ele muda de humor numa rapidez sem medida. Porém, é o cara mais engraçado que conheço. Ele tem um humor impossível. Sorri de tudo, o palhaço nato. Teve uma vida muito difícil, uma infância pesada, mas faz das suas histórias verdadeiras fábulas que tem sempre como fundo o bom humor.

Meus irmãos cumprem a tabela dos irmãos da humanidade. São chatos, estressados, e muito engraçados. Olha, aqui em casa eles são uma palhaçada só. Na verdade, analisando bem, aqui em casa todo mundo é muito feliz. A gente ri da vida, dos problemas, das dificuldades, dos estresses. Ri um do outro, faz piada com a barriga quebrada dos irmãos, ri da sobrancelha grossa do outro, da solteirice do outro. E assim a gente vai rindo e vivendo a vida.

Eu escrevi tudo isso para dizer que apesar de todos os problemas que a gente enfrenta em nossos lares, vale a pena a gente ter uma família. Vale a pena compartilhar a vida com essas pessoas que fazem a nossa vida mais estressante, porém mais leve.

Eu não sei se existe perfeição, mas o que sei é que o meu lar é onde me sinto plena. Apesar de todos os obstáculos que temos e diferenças que enfrentamos, eu sou feliz em ter a minha família. Sou feliz por ser uma Silvinha.

A minha ideia aqui hoje é a valorização da sua família. Não interessa como ela é composta, não interessa se não segue aos padrões pré-estabelecidos, não interessa se as pessoas apontam o dedo para ela. O que interessa mesmo é o amor que une vocês, que com certeza é o mesmo que une deste lado daqui também.

Sabe aquela musiquinha que tá na moda: “Segura teu filho no colo,
sorria e abraça os teus pais enquanto estão aqui. Que a vida é trem bala, parceiro, e a gente é só passageiro prestes a partir…”

É bem isso mesmo! A vida é uma rapidez muito doida e o que a gente tem na vida são os relacionamentos que a gente constrói. Que em nosso coração exista mais espaço para a gratidão do que para a reclamação. Tenha mais espaço para o perdão do que para as mágoas. Tenha mais espaço para o amor do que para o egoísmo. Tenha mais espaço para você e não para os estereótipos.

Beijos, minha gente! E pega bem aí quem tá do seu lado e dê um xêro, isso vai fazer toda a diferença!!!

Sem comentários

LEAVE A REPLY