Peneiras da vida!

0
117

A peneira natural da vida me assusta demais. Eu sofro com a culpa e isso piora as coisas. Não me acostumo com os que vão sem explicação explícita, como diria Ted Mosby: “Crianças, vocês ficarão chocadas ao perceber como é fácil se afastar das pessoas pra sempre.” Eu só consigo aceitar algo quando consigo compreender. E, enquanto isso não acontece, eu fico travadona, batendo na tecla do porquê. E isso me maltrata porque, às vezes, as pessoas só não querem mais ficar. Estar. Fazer parte da sua vida, mas eu fico aqui pensando e repensando e me culpando. Esse ciclo é perigoso.

Não tem como aceitar algo assim. Um amigo que dividimos histórias íntimas, pesadas e, às vezes, sigilosas, simplesmente, se vai. Será que não cuidei bem? Será que fui egoísta? Será que fiz algo errado? Essas perguntas ficam rondando em um looping eterno de aflição.

Eu sei que isso não é certo, mas existem coisas que não temos controle. Na verdade, a maioria delas.

A verdade é que você vai crescendo, as pessoas mudam e, graças a Deus, nós também mudamos. Nesse jogo de mudanças, algumas pessoas ficam no meio do caminho. E isso é cruel, mas é “normal”. As escolhas que fazemos se tornam a realidade que vivemos. A vida é isso. Essa caminhada de escolhas. E escolher não é fácil, quem dera fosse. Mas não é.

E na vida de adulto quem assume as responsabilidades por essas escolhas somos nós. Esse é o problema. Não tem como culpar ou apontar apenas para o outro. Não, nós somos os responsáveis por essas escolhas de maneira consciente ou não.

Infelizmente, muitos amigos, independente do seu esforço, não querem mais ser esses parceiros. E se vão. Tem até alguns que nós deixamos ir, ou permitimos, não sei. Mas, se eles não ficam ou se algumas pessoas ficarem no caminho, não significa que você fracassou, significa que a peneira da vida está funcionando.

O negócio é: invista o tanto que for em seus amigos, mas no dia que eles escolherem ir, os deixe ir. Relacionamento é algo que funciona quando duas pessoas resolvem estar. Resolvem ficar. Não imponha e nem viva de maneira unilateral. De resto, espere e viva. Sem culpas, sem mágoas. Faça o seu melhor e invista o seu melhor! Isso não é garantia de relacionamentos eternos, mas, ao menos, te trará paz em saber que você tentou muito.

lendo e repetindo esse texto para mim, para ver se aprendo (hahaha).

Beijos! <3

Sem comentários

LEAVE A REPLY