Salve Rainha faz temporada de carnaval no antigo Meduna

0
320
Grupo que faz parte do Coletivo Salve Rainha em Teresina. Foto: Divulgação

As temporadas de carnaval do coletivo cultural Salve Rainha iniciaram no último domingo, dia 5, no antigo Sanatório Meduna, zona Norte de Teresina. Com a proposta de ocupar espaços na cidade, de preferência os mais esquecidos, o coletivo abriu no local exposições, roda de debates e shows musicais.

As próximas temporadas do grupo serão nos dias 12, 19 e 26 de fevereiro. A ideia é ocupar o sanatório durante todo o mês. “Os locais públicos ocupados pelo Salve Rainha são identificados a partir de pesquisa patrimonial e escolhidos através de critérios que priorizam valores ambientais, arquitetônicos e históricos, dando preferência aos lugares e não-lugares mais esquecidos/negligenciados/subutilizados como forma de resgate de suas memórias coletivas”, diz o coletivo por meio de sua rede social.

Segundo Renata Reis, coordenadora do Salve Rainha, a próxima temporada irá abordar a questão do patrimônio e arquitetura de Teresina e memória coletiva. “O objetivo também é levar arquitetos para o local e pessoas que trabalhem com memória coletiva na cidade a fim de levantarmos esse debate”, comenta.

Para as temporadas, uma galeria de exposições, a feira de economia solidária e um palco para as atrações já foram montados. O evento ainda está aberto para receber voluntários que desejem participar das atividades. As temporadas começam a partir das 16h, na Galeria de Arte com a roda de conversa.  Às 18h, a Galeria abre pra circulação e também nesse horário começam as atrações do palco, com convidados especiais.

Temporada de carnaval que ocorreu no último domingo, 05. Foto: Francisco Gilásio
Temporada de carnaval que ocorreu no último domingo, 05. Foto: Francisco Gilásio

O Salve Rainha Café Sobrenatural é composto por um grupo de pesquisadores autônomos, entre estudantes e profissionais, que desenvolvem uma tecnologia social com a proposta de promover uma movimentação artística e cultural na cidade. O coletivo oferece à população ações coletivas e plurais, em diversos espaços públicos, proporcionando múltiplas manifestações a fim de valorizar o Patrimônio Histórico, Artístico e Ambiental.

Além disso, tem como proposta atuar de forma itinerante, oferecendo uma vasta programação cultural durante temporadas pré-determinadas e especiais que contemplam datas significativas do calendário da cidade.

Polêmica

Uma polêmica surgiu em torno do local escolhido pelo coletivo para esta temporada. A iniciativa chamou a atenção de internautas, que alegaram desrespeito à memória de quem passou por algum procedimento psiquiátrico no local.

Em resposta às acusações, o coletivo se pronunciou com textos em sua fanpage. “O Salve Rainha atua ocupando locais negligenciados e trazendo vida em espaços ociosos. A tristeza presente no Sanatório Meduna merece ser transformada e vista com os olhos de uma manifestação e uma reflexão social. Manifestação esta que traremos em nossas discussões e debates abertos durante toda a temporada. O Salve Rainha Café Sobrenatural resiste, insiste e persiste destacando a importância da visibilidade através da ocupação”, afirma Marina Fortes, integrante do coletivo, em um dos textos.

Ainda conforme Marina o objetivo do Salve Rainha é de “discutir a memória e o patrimônio histórico-arquitetônico do Sanatório Meduna, expondo as problemáticas da saúde mental, dando visibilidade para um local esquecido em sua memória e em sua estrutura. Por mais tristeza que o Sanatório tenha carregado, manter sua memória e discutir sobre é de extrema importância. Trazer esses questionamentos dentro de uma temporada, serve para lembrar de todas as barbaridades que já foram cometidas na sociedade, a fim de ensinar a atual e as futuras gerações a não cometerem os mesmos abusos”.

Sem comentários

LEAVE A REPLY